Da Casa Pia ao Casa Pia

[Version française]

da-casa-pia-ao-casa-pia.jpg

É no decorrer da administração de Francisco Simões Margiochi, que os alunos da Casa Pia de Lisboa vão desempenhar um importante papel na divuldação de um jogo que, viria a transformar-se no verdadeiro « desporto-rei » dos portugueses. O futebol.

Desde que fôra introduzido em Portugal, en 1888, pelos irmãos Pinto Basto, o futebol conquistara rapidamente o interesse dos desportistas que, sempre que possível, promoviam apresentações públicas em Lisboa, no Campo Pequeno e no Restelo.

bruno-do-carmo-200.jpg januario-narreto-200.jpg

Bruno José do Carmo  e Januário Barreto

Decorria o ano de 1893 quando os alunos Bruno do Carmo e Januário Barreto levaram para a Casa Pia de Lisboa o “jogo da bola” a que os seus companheiros depressa se passaram a dedicar com grande entusiasmo. Organizavam-se jogos entre grupos de alunos.

Volvidos pouco mais de seis meses, a equipa da Casa Pia de Lisboa, estreou-se, no campo das Salésias, em Lisboa, no dia 16 de Fevreiro de 1894, em jogo contra o Grupo Académico de Futebol, formado por alunos da Escola Politécnica. A partida terminou empatada sem golos. Mais tarde, a 3 de Março, a Casa Pia venceria o Grupo Académico de Futebol por 1-0.

grupo-academico-futebol-casa-pia.jpg

Estreia da equipa da Casa Pia de Lisboa, no jogo com o Grupo Académico de Futebol.  Em pé da esquerda para a direita: escultor Francisco dos Santos, professore João Pedro, Emilio de Carvalho, pintor Pedro Guedes, escultor José Neto, professor Silvestre da Silva, Dr. Januário Barreto, Dr. Estamislau Nogueira, Dr. António da Cunha Belém, Dr. António Simões Alves, engenheiro Craveiro Lopes, engenheiro Assunção, João Lourenco Marques, N. N., o pintor Falcão Trigoso e o arquitecto António Couto; Ao meio: Ernesto  Camacho; Sentados: Aragão e Brito, Mascará, Dr. Joao Simões Alves, coronel Bruno do Carmo, Tavares da Silva, Dr. Mário Costa, Kebe e coronel José Ferreira da Silva.

Quatro anos depois, os representantes da Casa Pia de Lisboa conseguem o seu feito maior ao levarem de vencida a, até então invencível, poderosa equipa des «mestres ingleses» do Carcavelos Clube, por 2-0, em 22 de Janeiro de 1898.

casa-pia-de-lisboa-_-carcavelos.jpg

Da esquerda para a direita, de pé : João Cambraia, António Couto, Emilio de Carvalho, Raul Carapine, Silvestre da Silva, Dr. Januário Barreto, José Neto, Francisco dos Santos; Sentados: João Pedro, Pedro Guedes (capitão) e Bruno do Carmo.

A revista desportiva «Tiro Civil» escreveria: «Realizou-se no dia de São Vicente uma partida de futebol entre o team de Carcavelos e o grupo da Casa Pia de Lisboa.
O grupo da Casa Pia venceu por 2-0.
No final do jogo ecoam palmas, bonés voam pelos ares e com razão, porque é um grupo completamente portugês, composto por jogadores que se fizeram em Lisboa, devido aos constants treinos e boa vontade de todos os do grupo.
Viva ! Três vezes viva ! pelos valentes rapazes que em tão pouco tempo tanto realizaram
».

Terminada a época de 1898, grande parte dos melhores jogadores da Casa Pia de Lisboa, após a conclusão dos seus cursos, abandonou a Instituição, continuando porém a desempenhar um papel importante no desenvolvimento de futebol português. Assim, após um jogo de futebol, ex-alunos da Real Casa Pia de Lisboa, qui tinham formado a Associação de Bem, em companhia dos irmãos Rosa Rodrigues, conhecidos pelos «Catataus», fundaram na Farmácia Franco um clube só com portugueses.

asscoaicao-de-bem.jpg

farmacia-franco.jpg

acta-du-sl.jpg

Acta escrita por Cosme Damião  que se esquera de juntar o seu nome a lista.

benfica-simbolo-sl-1.jpg

Escolheram o nome de Grupo Sport Lisboa. As cores do equipamento seriam vermelho e branco, por comunicarem alegria, colorido e vivacidade na luta desportiva. Escolheu-se a divisa: «E Pluribus Unum», como apologia da união e do espírito de família que caracterizava a criação do Clube.

Em 28 de Fevereiro de 1904, surge o Sport Lisboa. Em 1906 é eleito para primeiro presidente o casapiano Dr. Januário Barreto.

brnfica-1906-07.jpg

Em 1907, no Campo da Quinta Nova, em Carcavelos, o Sport Lisboa vence por 2-1, os «mestres ingleses» do Carcavelos Club, invencíveis desde 1898, altura em que perderam com a Casa Pia de Lisboa. 

benfica-simbolo-slb1908-ar.jpg
benfica-plantel1908-09-ar.jpg

 Emblema e a primeira equipa do Sport Lisboa e Benfica em 1908

Em 1908 o Sport Lisboa associa-se com o Sport Club Benfica e decidem muda o nome para Sport Lisboa e Benfica. Especialmente vocacionado para o futebol, mantém a estrutura futebolística do Sport Lisboa, assumindo-se como uma continuação deste.

casa-pia-atletico-club-armando-01.jpg

Em 14 de Junho de 1920, um grupo de ex-alunos da casa Pia de Lisboa reuniu-se para fundar um clube desportivo, resolvendo denominá-lo Casa Pia Atlético Clube, pelo mesmo ser constituído unicamente por ex-alunos da Casa Pia de Lisboa. Dos 18 elementos que subscreveram o documento de Fundação, destacam-se asassinaturas dos ilustres Jornalistas, Cândido de Oliveira e Ricardo Ornelas, de Mário da Silva Marques, que haveria de ser o primeiro nadador Olímpico Português nos jogos de Paris em 1924, António Pinho que fez parte da 1ª Selecção Nacional de Futebol ( 12 vezes internacional), e do Escritor e Historiador David Ferreira (pai do também Escritor e Poeta David Mourão Ferreira). Para Presidente escolheram Alfredo Soares, antigo aluno, Professor e mais tarde Director da Casa Pia de Lisboa (1922) e Primeiro Presidente da Liga Portuguesa de Natação (1921)

auto-da-fundacao-armando.jpg

casa-pia-1920.jpg

Da esquerda para a direita, de pé: José António de Almeida, José Gomes dos Santos, Ângelo de Araújo, Cândido de Oliveira (cap.), António Pinho e Alberto Nunes; assis: José Maria Gralha, António Augusto Lopes, Silvestre Rosmaninho, Alberto Loureiro e Álvaro Gralha.

O futebol é a principal modalidade do Clube, por tradição, e devido ao facto de os casapianos terem contribuído de forma activa e decisiva na sua implantação em Portugal.

Uma parte dos jogadores casapianos que estavam a jogar no Sport Lisboa e Benfica ingressarem no Casa Pia Atlético Clube

No jogo particular de apresentação, a 3 de Outubro de 1920, o Casa Pia vence o Benfica por 2-1. 

01-gralha-ar.jpg

Álvaro Gralha

01-candido-oliveira-casa-pia-ar.jpg 01-antonio-lopes-casa-pia-ar.jpg

Cândido de Oliveira e  António Lopes

Na época de 1920-1921, ano da sua fundação, o Casa Pia venceu sem derrotas os principais campeonatos : Distrital de Lisboa e Taça Associação. Um feito nunca igualado pelos três «grandes» de Lisboa, Benfica, Sporting e Belenenses.

Neste mesmo ano, vence também o campeão do Norte, o Futebol Clube do Porto por 2-0, conquistando a Taça 27 de Julho. No entender do jornalista Ricardo Ornelas, este jogo «poderia corresponder a uma final do Campeonato de Portugal começado na época seguinte…». No Porto os « gansos » continuavam a exibir o seu bom futebol, cativando assistências, disputando um segundo jogo com o Leixões que foi também derrotado por 2-0.

Com cerca de um ano e meio de existência já o Casa Pia tinha efectuado três torneios no estrangeiro. Em Paris, em San Sebastian e em Sevilha.

portugueses-em-paris.jpg

Revista Footbal, 25 de Dezembro de 1920 – Portugueses no estrangeiro
Os jogadores do Casa Pia Atlético Club, que hoje, em Paris, tomam parte no torneio internacional organizado pelo Club Francês

A equipa casapiana foi a primeira equipa Portuguesa a jogar em Paris, actuando no Estádio Pershing, no Torneio Internacional daquela cidade. O jogo de estreia foi efectuado no dia de Natal de 1920, frente ao campeão de França, Cercle Athletic de Paris que venceu por 2-1, sendo o golo casapiano marcado pelo capitão Cândido de Oliveira e Ricardo Ornelas (seriam responsáveis pelo aparecimento da selecção nacional). 

casa-pia-1920-21.jpg

Equipa campeã de Lisboa 1920-21 – Da esquerda para a direita, de pé: José António de Almeida, Clemente Guerra, Cândido dos reis, António Pinho, Gomes dos Santos e Alberto Nunes. Sentados: José Maria Gralha, Antánio Lopes, Silvestre Romaninho, Alberto Loureiro e Alvaro Gralha. 

O Casa Pia foi também a primeira equipa do Continente a deslocar-se aos Açores. Fê-lo de forma graciosa, tendo o convite partido do Fayal Sport Clube, para a disputa de 3 jogos a favor das vítimas do sismo ocorrido em 1922 naquele arquipélago.

Em 13 de Outubro de 1921, o Casa Pia, foi convidado para a inauguração do Campo de Sevilha, F.C., tendo perdido por 3-0.

Em 13 de Novembro de 1921, o Casa Pia inaugurou o campo do Vitória F.C. (Setúbal). 

portugal-espagne.jpg

Da esquerda para a direira: Jorge Vieira, José Maria Gralha, António Augusto Lopes, António Pinho; António Ribeiro dos Reis, Raul Nunes, Cândido de Oliveira (cap.), Artur Augusto, Vítor Gonçalves, João Francisco, Carlos Guimarães e Alberto Augusto.

Em 17 de Dezembro de 1921, uma parte dos jogadores do Casa pia foram chamados à primeira Selecção Nacional para defrontaram a Espanha.  Portugal perdeu por 3-1.

O Casa Pia, de 1920 a 1924 apresentou como recinto oficial de jogos o Campo das Laranjeiras. Em 21 de Dezembro de 1924, com a presença do Presidente da Republica, Manuel Teixeira Gomes inaugura o Campo do Restelo, primeiro parque de jogos do Casa Pia Atlético Clube, sito onde hoje está o Bairro com o mesmo nome.

Em 6 de Dezembro de 1925, perante 15 mil espectadores, o Casa Pia inaugurou o Estádio das Amoreiras, propriedade do Sport Lisboa Benfica, considerado na época o melhor Estádio da Península. O Casa Pia venceu por 3-1.

casa-pia-atletico-club-01.jpg

Em 1938/39, o Casa Pia participou conjuntamente com as equipas do F.C.Porto, Académico, Barreirense, Benfica, Sporting, Belenense e Académica no I Campeonato Nacional de Futebol, tendo ficado em último lugar.

 

4 Responses to “Da Casa Pia ao Casa Pia”

  1. Amonte dit :

    Interessantíssima história do Casa Pia, tanto na vertente desportiva como, sobretudo, social.

    Estou empenhado em encontrar fichas dos jogos que o clube disputou na I Divisão, em 1938/39. Tenho apenas as fichas dos jogos com a Académica.

    Pode ajudar-me com mais alguma?

  2. Obrigado Lar Augusto Poiares pela sua mensagem. E por ter apreciado as minhas modestas palavras. Espero voltar a vê-lo por estas paragem.
    Saudações casapianas.

  3. Lar Augusto Poiares dit :

    Pertencer a esta familia, e algo especial…sinto como se fossem os meus antepassados, como a historia da minha familia, sinto-me muito orgulhoso.
    Excelente artigo…

  4. BRAZEX dit :

    Uma história fantástica de um clube e de uma instituição que tantas e boas glórias deu ao património cultural e desportivo de um pequeno país chamado Portugal mas de grandes gentes. Aliás existe uma similitude interessante entre a Casa Pia Portuguesa e os grandes feitos na própria história de Portugal.