O período do Castelo de S. Jorge

[version française]

01-brazao-da-casa-pia-ar.jpg

A Casa Pia de Lisboa : Breve síntese histórica

Adérito Tavares
Professor na Universidade católica portuguesa (Lisboa)

 

alegoria-a-casa-pia-do-castelo-gil-teixaira-lopes.jpg

Alegoria à Casa Pia do Castelo
Gil Teixeira Lopes 

 

2. O período do Castelo de S. Jorge

Pina Manique tinha uma concepção preventiva da acção da Polícia. A Polícia devia, mais que reprimir, prevenir o crime. Segundo as teorias de Rousseau, o meio social era o responsável pela génese e desenvolvimento das tendâncias criminosas. O Homem era naturalmente bom, a sociedade é que o corrompia. Assim, importava retirá-lo dos maus ambientes, criar recolhimentos e obras de assistência que albergassem as crianças pobres e abandonadas, onde lhes fosse proporcionado um clima de saudável e útil educação.

02-lisboa-castelo2.jpg

A Casa Pia foi instalada no Castelo de S. Jorge, provisoriamente. Uma instalação provisória que, pouco a pouco, se transformaria em definitiva. Aí foram recolhidos, além de crianças de ambos os sexos, também mendigos e prostitutas, em sectores diferenciados. A ideia de um estabelecimento múltiplo, onde simultaneamente se ministrassem às crianças as primeiras letras, o ensino secundário e o ensino profissional e, aos adultos recolhidos, se facultasse a recuperação social e laboral, não deve ter surgido de repente. A obra, qual bola de neve, foi nascendo e crescendo a pouco e pouco. Adaptaram-se edifícios e construiram-se outros, num castelo ainda arruinados pelo terramoto. Foram introduzidas inovações na orgânica do estabelecimento e nos seus objectivos, alargaram-se os currículos, os quadros de pessoal e o próprio número de recolhidos, à medida que o temps passava.

  

dona-maria-i.jpg

Quando, em 3 de Julho de 1780, D. Maria I inaugurou oficialmente a Casa Pia, esta era ainda um recolhimento que albergava algumas dezenas de crianças e adultos, ao mesmo tempo asilo e prisão preventiva e transitória. Mas Pina Manique em breve se entusiasma com o projecto. Contrata pessoal docente, administrativo e auxiliar. Manda construir camaratas, refeitórios, salas de aulas e oficinas. Rodeia-se de colaboradores prestigiados, como José Anastácio da Cunha poeta e matemático, antigo professor da Universidade de Coimbra, a quem nomeia regente de estudos e encarrega de elaborar o plano curricular e o regulamento interno da Casa Pia.

02-jose-anastacio-da-cunha.jpg

02-principios-matematicos.jpg

O plano de estudos elaborado por José Anastácio incluia Francês, Inglês, Matemática Pura, Mecânica e Optica, Astronomia, Geometria, História Naturel e Física Experimental, Química e Farmácia.

Mais tarde seriam criados cursos práticos professionais e introduzido o estudo de novas matérias, como Anatomia, Desenho do Nu, Comércio, etc.

Os alunos que revelavam aptidões especiais, em breve começaram a ser enviados para estudos científicos e artísticos superiores. Assim, foi o criado o Colégio das Ciências, em Coimbra, para albergar os estudantes casapianos na Universidade. Em Edimburgo e Copenhaga viriam a especializar-se em Obstetrícia alguns alunos da Casa Pia. Finalmente, em Roma, foi fundado por Pina Manique o Colégio Português das Belas Artes, para onde foram encaminhados jovens casapianos com capacidade para o estudo superior da Pintura, Arquitectura, Escultura e Gravura. Entre outros, frequentaram este colégio Domingos Sequeira e Vieira Portuense.

02-domingos-sequeira.jpg

Domingos Sequeira
(cópia de auto retrato)
Pedro Guedes, 1895

02-miracleofourique.jpg

Domingos Sequeira,
o milagre da Batalha de Ourique
1793

02-vieira-portugence-teixeira-barreto.jpg

Vieira Portugense (retrato de Teixeira Barreto, século XIX)

02-dona-filipa-arma-os-filhos-vieira-portuense.jpg

«D. Filippa de Vilhena», onde esta é representada
no momento em que arma os seus filhos
[Teixaira Portugense]

O Regulamento elaborado por José Anastácio da Cunha era extraordináriamente moderno e inovador. A título de exemplo, poderemos referi que desaconselha os castigos corporais, estimula o exercício físico e cria, pela primeira vez entre nós, um « conselho escolar ». Vem também a propósito referir que é também na Casa Pia do Castelo de S. Jorge que é criada a primeira escola feminina portuguesa, o Colégio de Santa Isabel.

O pioneirismo pedagógico da Casa Pia, para além do ensino experimental, científico e artístico, acima referidos, revela-se também noutros domínios. Por exemplo na aprendizagem das línguas vias : o francês e o inglês aparecem já, como vimos, no Plano de Estudos de José Anastácio da Cunha, ensinados por professores da própria nacionalidade. Um pouco mais tarde, seria também introduzido o ensino do alemão, sendo a Casa Pia a primeira escola portuguesa a fazê-lo.

O pioneirismo e a inovação pedagógica da Casa Pia de Lisboa revelam-se também no ensino técnico-profissional e no ensino musical. Desde o primeiro dia que são ensinados ofícios às crianças da instituição casapiano : fiar, tecer, bordar, etc. As oficinas da Casa Pia do Castelo chegarama fornecer de brins e lonas a Armada Real. Esta tradição de preparação dos alunos em termos laborais iria manter-se ao longo de toda a vida da instituição, até hoje.

Também o ensino da Música sera uma constante durante os mais de duzentos anos de vida da Casa Pia. O interessante Borrador das Despesas Quotidianas da Casa Pia, de 1758, mostra-nos vários encargos com a aquisição de instrumentos e fardamentos para uma banda de alunos, fazendo também referência ao arranjo de um cravo em que os estudantes faziam a sua aprendizagem.

Treze anos depois da fundação, em 1793, a Casa Pia de Lisboa, de humilde recolhimento de crianças orfãs e abandonadas, tinha-se transformado numa grande instituição de solidariedade social, uma escola moderna, com mais de um milhar de alunos. Um número impressionante, sobretudo se pensarmos que se tratava de uma obra nascida da vontade de um homem, que sobreviveu e se alargou sobretudo graças a essa vontade, e que irá soçobrar pouco depois do seu desaparecimento.

02-castelo-004.jpg

 

One Response to “O período do Castelo de S. Jorge”

  1. BRAZEX dit :

    Continuação da interessante história da Casa Pia de Lisboa, na qual se comprova que Portugal foi percussor em variadissimos dominios, até na maneira de ver as sociedades modernas, ainda de actualidade hoje.